Navegar

Quando escrevo, acredito que a fantasia e a realidade são duas verdades que em algum momento se tocam. Meus livros estão disponíveis na Amazon e em breve aqui no site.

Ficção e Arte
Gosto muito das ciências sociais e das humanas, principalmente da sociologia e da comunicação, área em que me formei, além da psicologia e da filosofia. Já li Foucault, Bauman, Proust, Eco, Nietzsche, Kant, Platão e Aristóteles.
Continue lendo
Pessoas e cachorros
Gosto de cuidar do meu jardim e cultivar margaridas. Gosto de árvores e flores. Gosto de comer churros, cachorro-quente e pipoca na carrocinha da esquina. Ainda compro jornal e revista na banca da praça, que bem logo deixará de existir. Ponho os pés ao sol uma vez por semana e na água do mar uma vez por mês. Gosto de assar pão, de comer cuca com chimia e mumu.
Continue lendo
Prazer em Conhecer
Ao cair da noite, Margô e eu costumávamos contemplar o silêncio de um mesmo local, de um mesmo cenário, como se aquela rotina fosse um ritual diário de libertação. Ao fundo, o contorno da montanha era projetado pelas luzes da cidade. Das residências à volta, percebiam-se apenas as nuances das cores projetadas nos ambientes pelos lustres e abajures.
Continue lendo
A Tal Felicidade
Era uma noite de abril e o piso de madeira não estava tão gelado quanto o piso de cerâmica da antiga moradia. Margô e eu adorávamos andar de pés descalços pela casa nova, um hábito que não perdemos até hoje.
Continue lendo
De Repente, Natal
As árvores das calçadas estavam enfeitadas e o espírito do Natal parecia invadir o coração de toda a gente. Logo mais, os últimos dias prenunciariam a chegada de um novo tempo e cada qual faria seus votos e simpatias para que o próximo ano fosse um ano melhor.
Continue lendo
Cidade Sem Fim
Na juventude, de tudo tentei um pouco. Fui arquivista, escriturário, vendedor de livro e seguros de carro e de vida. Fui roteirista, socialista partidário e, logo depois, virei roqueiro.
Continue lendo
A Primeira Vez
Era cedo demais para que ela começasse a amar. O corpo um tanto magro revelava as pernas longas, ainda desproporcionais ao tamanho do tronco, e os pequenos peitos cabiam desajeitados no sutiã.
Continue lendo
Velha Infância
Não foi difícil para que as três Marias esquecessem a idade que tinham, e que o tempo havia passado. Muito pelo contrário, o mais fácil foi voltar no tempo. Viveram como se ainda tivessem uns nove anos.
Continue lendo
As Três Marias
Com a fala inquieta, uma delas resolveu convidar as demais Marias para um passeio. Mas não seria um passeio qualquer, nem nada parecido com aquilo que já haviam experimentado.
Continue lendo
Fechar

Sign in

Fechar

Carrinho (0)

Cart is empty No products in the cart.



Moeda